23 moradores da Rocinha morreram de Covid-19 e não 9, conforme vinha divulgando a Prefeitura do Rio. Outras 17 mortes suspeitas estão sendo investigadas. Esses novos números constam em um painel criado por médicos de unidades públicas de saúde da Rocinha. A quantidade de casos confirmados e de recuperados também não correspondem ao que é publicado diariamente pela prefeitura.

O painel reúne dados das Clínicas da Família Maria do Socorro Silva e Souza e Rinaldo de Lamare, além do Centro Municipal de Saúde Dr. Albert Sabin, no alto da Rocinha.

A diferença entre casos confirmados, recuperados e mortes ressaltam a importância de uma  ferramenta como essa, que pode minimizar o problema da subnotificação, que mascara a gravidade da pandemia nas favelas do país.

“A divulgação deste painel visa compartilhar informações específicas da situação da Rocinha de forma mais detalhada e em tempo real, com o objetivo de empoderar a população com uma noção realista dos dados e reforçar a importância de estratégias de isolamento”, explicam os médicos envolvidos no projeto.

Diferenças entre dados públicos de saúde

O painel da Rocinha é alimentado à partir da análise de planilhas da vigilância sanitária, pesquisas no sistema de verificação de exames de laboratório e informações compartilhadas por moradores com os profissionais de saúde. Os médicos se inspiraram em iniciativas semelhantes feitas no Complexo do Alemão e em Manguinhos.

Outro dado que chama a atenção é a quantidade de moradores internados com Síndrome Respiratória Aguda Grave. De acordo com o painel, 167 pacientes com suspeita de Covid-19 apresentam sintomas de gripe, acompanhados de falta de ar ou baixa saturação de oxigênio. Todos esses pacientes foram atendidos e encaminhados pelas unidades médicas da Rocinha.

105 moradores na faixa etária entre 50 e mais de 70 anos permanecem internados. Quatro crianças com idade entre 0 e 9 anos também precisaram de internação. Das 23 mortes, 11 deles tinham mais de 70 anos de idade.

Os dados do painel criado pelos médicos informam apenas os casos de moradores com indicação de internação hospitalar. Não estão incluídos na contagem os casos leves (com indicação apenas de isolamento domiciliar), que são a maioria dos atendimentos realizados nas clínicas da família.

Até está segunda-feira (4/05), o painel da prefeitura mostrava 76 casos confirmados de Covid-19 na Rocinha, 55 moradores recuperados e 9 mortes.

O que diz a prefeitura

Em resposta a reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde enviou uma nota sobre a divergência de dados dos médicos que trabalham na Rocinha e o Painel Rio Covid-19.

“O Painel Rio Covid-19, da SMS, informa os casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) confirmados para covid-19 ou, nos casos das internações, em investigação para a doença, com a distribuição dos casos por bairros. São os dados oficiais do Sistema de Vigilância em Saúde, após as devidas confirmações laboratoriais necessárias, para que não haja questionamentos técnicos.

Já os quadros informativos que são feitos pela Estratégia Saúde da Família nas unidades de Atenção Primária, como a clínica da família da Rocinha, informam todos os casos atendidos pelas equipes das unidades com suspeita da doença, incluindo pacientes com quadros leves e que não têm indicação de serem testados. É importante destacar que, nos paineis das unidades, nem todos os casos são confirmados.

Os dados dos painéis das unidades são importantes para ordenar as ações de saúde nas respectivas comunidades e também servir de alerta à população local, ajudando-a a ter real consciência sobre a necessidade do distanciamento social, entre outras medidas preventivas.


Apoie o jornalismo de favelas. Apoie o Fala Roça.

Fazer jornalismo na favela é um imenso desafio. Nós sempre fizemos nossas matérias abordando diversos aspectos da Rocinha. Seja no jornal impresso ou no site. Contribuindo com o Fala Roça, você estará fortalecendo o jornalismo feito na favela, independente, e com um olhar de quem nasceu e mora até hoje no morro. Pode dar essa moral? 👇

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Homem de 43 anos morre com coronavírus após dar entrada na UPA da Rocinha

Um homem de 43 anos morreu com coronavírus na última quinta-feira (16),…

Rocinha lidera nº de casos de coronavírus em favelas no Rio; já são 34 infectados

34 moradores da Rocinha estão infectados com o novo coronavírus, o covid-19,…

Desempregado, padeiro produz pães e doa para moradores na Rocinha

Em média, cada saco montado pela família de Isael Jacinto tem 5 pães

Homem morre de coronavírus 17 dias após perder pai para a doença na Rocinha

Alexandre Moreira ficou internado por 2 semanas no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer