O coletivo A Rocinha Resiste (ARR), em parceria com a campanha Por Vidas, pretende arrecadar R$ 20 mil para a compra de 50 tabletes educativos para serem doados em outubro, mês em que está previsto o retorno das aulas na rede pública de ensino do Rio de Janeiro

A iniciativa surgiu após um levantamento feito em conjunto com o CRAS e a uma equipe de saúde do Centro Municipal de Saúde Dr. Albert Sabin, na parte alta da Rocinha. Os dados apontam que além da necessidade de cestas básicas e itens de higiene para famílias em situação de pobreza extrema, há dificuldade do acesso à educação para crianças de 5 a 12 anos.

Com a pandemia, as escolas da Rocinha tiveram que fechar, e continuar estudando em casa com computadores portáteis, celulares e internet, não é uma realidade possível para grande parte das crianças.

“Nossa meta é conseguir 50 tabletes com conteúdo educativo para auxiliar nesse processo pedagógico das crianças. Esse material do tablete que escolhemos é mais resistente e é feito especificamente para crianças. Vem com vários aplicativos que ajudará na complementação dos estudos”, explica Lucas Pablo, coordenador de comunicação do ARR.

A expectativa é que a meta de arrecadação seja conquistada até o fim do mês. Para doar, acesse a página do financiamento coletivo na plataforma Benfeitoria. Mais detalhes sobre a ação pode ser encontrada na página do coletivo A Rocinha Resiste no Instagram.

Sobre a campanha ‘Por Vidas’

Por Vidas é uma campanha de arrecadação itinerante com o objetivo de contribuir com o trabalho de ONGs/OCSs que estejam, nesse momento de pandemia do covid-19, atendendo demandas básicas e essenciais de populações e grupos vulneráveis. Essa contribuição acontece por meio da destinação de recursos financeiros arrecadados com campanhas de financiamento coletivo online, que são estruturadas e executadas pela equipe da iniciativa. 

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Deputado sugere ao governo a construção de colégio da Polícia Militar na Rocinha

Três colégios militares da PMERJ foram construídos no Rio em 12 anos

Jovem da Rocinha chega 2 minutos atrasado e é impedido de participar de seleção na UFRJ

O desabafo feito pela irmã dele, Bruna Dias, viralizou em uma rede social