Mesmo após a Justiça do Rio expedir uma liminar embargando a obra de instalação de um tomógrafo no estacionamento da Igreja Universal do Reino de Deus, operários da Prefeitura do Rio foram vistos, na manhã desta quinta-feira (14), ainda trabalhando nesta obra.

Ao perceberem a movimentação de operários, um grupo de cerca de 20 comerciantes do Mercado Popular da Rocinha, também chamado de camelódromo, entraram no estacionamento da igreja para questionar a continuidade da obra. Segundo os comerciantes, os operários chegaram por volta de 8h e trabalharam até às 12h.

Dois operários foram vistos trabalhando na parte da manhã na obra do tomógrafo. Foto: Michel Silva/Fala Roça

Os lojistas alegam que o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, determinou que cerca de 30 boxes do camelódromo sejam removidos para que os operários abram uma via de acesso aos fundos da igreja, onde está instalado o tomógrafo. As conversas com os lojistas vêm sendo feitas há dois meses. Atualmente, 216 boxes estão instalados no camelódromo e 840 pessoas trabalham no local. 

Renda de famílias em jogo

De acordo com o coordenador do Mercado Popular da Rocinha, Luiz Henrique Gildo, a medida afetará os comerciantes e famílias. “O prefeito está cometendo um crime usando politicamente a obra da Rocinha, que já era para estar instalado na UPA da Rocinha e salvando vidas, mas continuam fazendo obra arbitrária em benefício deles”, disse Gildo.

A comerciante Maria Mercedes também teme que seja prejudicada com a ideia. “Tem famílias que dependem disso aqui. Eu acho uma sacanagem o Crivella, um homem que se diz de Deus, fazer uma covardia dessas com os trabalhadores, as mulheres guerreiras da comunidade, que lutam para ter o seu pão no dia a dia”, desabafa Mercedes.

Segundo a Procuradoria-Geral do Município, a prefeitura recebeu a intimação sobre a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de paralisar as obras de instalação do tomógrafo. Porém, a secretaria de comunicação da prefeitura negou que tenham recebido a intimação. Em consulta à movimentação processual, mostra que a intimação foi entregue nesta quinta-feira (14).

Técnicos da Secretaria Municipal de Obras iam avaliar o andamento da obra, mas cancelaram a vinda à Rocinha. Segundo informações, os engenheiros da prefeitura tinham um projeto para remover os boxes. No entanto, fontes afirmam que eles  desistiram do projeto por ser inviável.

Na quarta-feira (13), o Tribunal de Justiça do Rio determinou que a obra fosse paralisada e o tomógrafo deve ser instalado na UPA da Rocinha conforme planejado inicialmente.

Procurada, a Prefeitura do Rio não respondeu nosso contato até o momento da publicação da reportagem.

Em atualização


Apoie o jornalismo de favelas. Apoie o Fala Roça.

Fazer jornalismo na favela é um imenso desafio. Nós sempre fizemos nossas matérias abordando diversos aspectos da Rocinha. Seja no jornal impresso ou no site. Contribuindo com o Fala Roça, você estará fortalecendo o jornalismo feito na favela, independente, e com um olhar de quem nasceu e mora até hoje no morro. Pode dar essa moral? 👇

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Homem de 43 anos morre com coronavírus após dar entrada na UPA da Rocinha

Um homem de 43 anos morreu com coronavírus na última quinta-feira (16),…

Rocinha lidera nº de casos de coronavírus em favelas no Rio; já são 34 infectados

34 moradores da Rocinha estão infectados com o novo coronavírus, o covid-19,…

Homem morre de coronavírus 17 dias após perder pai para a doença na Rocinha

Alexandre Moreira ficou internado por 2 semanas no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer

Diretor de obras da Associação de Moradores da Rocinha morre de coronavírus

O diretor de obras da Associação de Moradores da Rocinha (UPMMR), Jorge…