Dos cinco elevadores do Centro de Cidadania Rinaldo de Lamare apenas um está em funcionamento. Pessoas e funcionários que precisam ter acesso aos serviços públicos do local esperam até 30 minutos para pegar o elevador. O prédio possui 18 andares. Quem desiste de esperar pelo elevador enfrenta uma longa subida de degraus.

O centro municipal oferece vários serviços como Clínica da Família, Centro de Convivência de Idosos, escolas, Conselho Tutelar e cursos técnicos.

Os elevadores estão sem manutenção desde 2017. Em dezembro de 2018, a empresa responsável pela manutenção dos elevadores pediu a rescisão do contrato. No fim de 2020, os elevadores pararam de vez. Na gestão de Marcelo Crivella, a prefeitura informou que estava providenciando um contrato emergencial com uma nova empresa.

Após o retorno do prefeito Eduardo Paes ao comando da prefeitura, os problemas continuam. A diarista E. F. S., 57 anos, estava saindo da escada de emergência quando a reportagem do Fala Roça tentava utilizar o elevador na tarde desta segunda-feira (8/11).

“Fui tentar pegar a receita médica para uma dor que estou sentindo nas articulações da perna esquerda. Subi no elevador com dor, mas antes demorei um bom tempo na fila. Lá em cima, os funcionários disseram pra descer de escada porque é mais rápido do que esperar”, disse a diarista que preferiu não se identificar.

Prédio concentra vários serviços públicos; porém nem todo mundo consegue acesso. Foto: CMS Rinaldo de Lamare

Funcionários também relatam dificuldades para cumprir as obrigações. Um funcionário que não quis se identificar revelou não estar mais aguentando trabalhar no prédio. “Não aguento mais esse tal de abrir licitação”, ironiza.

Em um dos andares, funcionários conversam com pessoas que buscam serviços no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS). “Eles [os funcionários] não tem culpa. Esse problema é antigo e ninguém consegue resolver, só ficam falando que estão esperando chegar a peça da europa”, diz um morador da Rocinha.

Gasto milionário com novos elevadores

Em nota ao Fala Roça, a secretaria informou que “a secretária Laura Carneiro tomou ciência do problema e foi informada pela empresa de manutenção dos equipamentos que não havia mais conserto possível para os cinco elevadores, que começaram a dar problema em 2017 e pararam de funcionar em dezembro de 2020.”. 

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, que divide a responsabilidade do Centro de Cidadania Rinaldo de Lamare com as secretarias municipais de Saúde e Educação, uma nova licitação foi autorizada no dia 29 de outubro de 2021. A estimativa das obras é de R$ 1.450.000,00. 

A Prefeitura do Rio atribuiu a demora no conserto dos elevadores em função das dificuldades financeiras encontradas na mudança de gestão. 

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Rocinha vive pico de casos de Influenza A nos últimos dias

Fotos das unidades de saúde lotadas na Rocinha viralizaram esse fim de…

Idosa de 70 anos morre com suspeita de Covid-19 na UPA da Rocinha

A idosa Maria Luiza Santana do Nascimento, de 70 anos, morreu com…

Infectologista diz que moradores da Rocinha correm risco com coronavírus

Uma das portas de entradas do coronavírus na Rocinha pode ser o turismo

Eraldo Silva: “Crise na saúde pública do Rio atinge patamares alarmantes”

Se a Prefeitura do Rio de Janeiro não recuar na sua decisão…