No terceiro mandato como prefeito do Rio, Eduardo Paes, tem um histórico de intervenções na Rocinha. No início do ano, ele declarou que vai “trabalhar muito para fazer o Rio voltar a dar certo”. Em abril, Paes apresentou um balanço dos 100 primeiros dias de governo mostrando que cumpriu totalmente ou parcialmente 83% do total dos objetivos previstos para os primeiros 100 dias no comando do município.

Recentemente, Eduardo Paes participou de um evento na quadra da Acadêmicos da Rocinha, diante de dezenas de moradores, e sancionou a lei que estabelece o tombamento do Mercado Popular da Rocinha. A iniciativa, uma reivindicação antiga de quem atua no local, garantiu que a área seja reconhecida por seu relevante interesse social e cultural, passando a ser considerada Patrimônio Imaterial da cidade. A medida também dá mais segurança econômica aos trabalhadores que ocupam cerca de 200 boxes instalados há décadas na entrada do morro.

Ainda no evento, o prefeito afirmou que regularizou as contas públicas do município, apesar das dificuldades de arrecadação relacionadas à pandemia de covid-19. 

Reforma do camelódromo

Na gestão Crivella, a ideia era remover parte dos boxes do Mercado Popular da Rocinha para abrir uma rua de acesso ao tomógrafo instalado até hoje na garagem da Igreja Universal do Reino de Deus. Este ano, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (SMI) estuda realizar uma reforma nos boxes do camelódromo. Em agosto, arquitetos da RioUrbe fizeram uma vistoria técnica nos quiosques instalados no Largo das Flores, próximo ao camelódromo. A área ganhará um projeto de reurbanização e padronização dos quiosques.

Clínicas da família

A meta da Prefeitura do Rio é recuperar e reformar todas as UPAs e Clínicas da Família que foram destruídas ou fechadas durante a gestão Crivella até 2023, diz o plano de governo de Paes.

Segundo assessores do prefeito, as clínicas da família, na Rocinha, e o Centro de Cidadania Rinaldo de Lamare, em São Conrado, seriam reformados. Porém, a Secretaria Municipal de Saúde negou a informação e afirma que houve uma distorção do fato. Em seu discurso na quadra da Acadêmicos da Rocinha, Eduardo Paes assumiu “o compromisso de que as unidades de saúde da Rocinha voltarão a funcionar em sua plenitude”.

No mesmo discurso, o prefeito salientou que este primeiro ano tem sido dedicado a organizar não só as finanças, mas também administrativamente a Prefeitura.

“Assim que o plano de recuperação de todas as clínicas da família do município estiver finalizado, as informações serão divulgadas. Mas vale salientar que, para recuperar a rede de saúde pública municipal, oito meses depois, a SMS já conseguiu recuperar 1.200 aparelhos de ar condicionado, comprar mobiliário para a maioria das unidades da rede e recompor as equipes com a contratação de 3.600 profissionais. Gradativamente, todas as unidades voltarão a funcionar adequadamente, como ocorria em 2016.”, pontuou a Secretaria Municipal de Saúde em nota enviada ao Fala Roça.

Obras de contenção de encostas

Desde as fortes chuvas que atingiram a cidade em 2019, as obras importantes de contenção de encostas na Rocinha só ficaram no papel. No mesmo ano, mostramos um relatório técnico da Prefeitura do Rio com mais de 500 páginas feito após vistorias nos locais atingidos pelas chuvas fortes no qual aponta os problemas e as propostas de soluções.

Na época, 17 locais foram inspecionados por técnicos da Geo-Rio junto com moradores. As obras foram orçadas em cerca de R$ 11 milhões. Em 2021, a Prefeitura abriu licitação para obras de contenção de encostas na Dioneia, no 199 (vertente Gávea) e em duas partes do Laboriaux (vertente Portão Vermelho e na Vila Cruzado (vertente Gávea). 

Todas essas obras custarão cerca de R$ 9,5 milhões. Veja abaixo o gráfico onde estão as localidades e os custos de cada região.

As obras foram divididas em duas fases e a Geo-Rio vai atuar, a princípio, no Laboriaux, Dioneia e 199, onde serão feitas intervenções como reforço no solo, muro de concreto armado, muro estaqueado para reforçar a estabilidade da base e um sistema de drenagem com descida em degraus . Já no Portão Vermelho, as obras ficarão para segunda fase da licitação e serão feitas intervenções como sistema de drenagem com descida em degraus e canaleta de drenagem, além de um muro de concreto armado.

“Importante ressaltar que não haverá remoção de famílias durante a execução das obras. Ainda não há previsão para o início das obras.”, informou a Secretaria Municipal de Infraestrutura.

Reformas de quadras

O campo de barro da Macega e a quadra do Terreirão da Rua 2 serão reformados, segundo a Secretaria Municipal de Habitação. A obra será executada apenas com recursos federais e o investimento previsto é de R$ 187.439,95.  O resultado da licitação foi divulgado no dia 28/9, no Diário Oficial da cidade. Vistorias técnicas já foram feitas nos locais e a expectativa é de que as obras comecem em outubro, através da Prodigy Construtora e Participações LTDA, ganhadora da licitação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação, o projeto da quadra da Rua Dois, que segundo moradores jamais recebeu qualquer tipo de intervenção do poder público, prevê colocação de alambrado, fornecimento e colocação de balizas e redes de futebol de salão, a pintura do piso da quadra e ainda a revisão da iluminação da quadra. Já o projeto da quadra da Macega prevê a execução de piso em concreto armado, colocação de alambrado, fornecimento e colocação de balizas e redes de futebol de salão, a reforma do vestiário e ainda a revisão da iluminação da quadra.  

“A Secretaria de Habitação está nas ruas para oferecer moradia de qualidade para a população. E isso não se resume à construção de unidades habitacionais, nosso principal objetivo, mas também requer cuidado com toda a área do entorno, onde o poder público deve trabalhar para garantir desde acessibilidade, unidades de saúde e de educação, assim como equipamentos de esporte e lazer”, afirmou o secretário Cláudio Caiado ao Fala Roça.

Canaleta do Morro Dois Irmãos

Construída na década de 90, a canaleta da Rocinha – na encosta do Morro Dois Irmãos – coleciona denúncias de moradores sobre problemas estruturais e riscos de deslizamentos de pedras. O temor aumenta em dias de fortes chuvas quando a água não é escoada corretamente e atinge moradias na Macega e Roupa Suja.

A Geo-Rio informou que está terminando trâmites burocráticos para iniciar as licitações de intervenções na canaleta. Não há previsão para o início das obras.


Apoie o jornalismo de favelas. Apoie o Fala Roça.

Fazer jornalismo na favela é um imenso desafio. Nós sempre fizemos nossas matérias abordando diversos aspectos da Rocinha. Seja no jornal impresso ou no site. Contribuindo com o Fala Roça, você estará fortalecendo o jornalismo feito na favela, independente, e com um olhar de quem nasceu e mora até hoje no morro. Pode dar essa moral??

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Novos deslizamentos podem acontecer em 2020 se não houver obras na Rocinha, afirma defensora pública

Declaração foi dada durante audiência pública da CPI das Enchentes

Quem nos representa? Um olhar da Rocinha sobre política, representatividade e corrupção

A favela é sub-representada na maioria dos espaços de poder mas transborda exemplos de pessoas que, através da diversidade, podem trazer a renovação política que tanto se fala por aí

Projeto da ONU procura moradores para trabalhar dentro da Rocinha

Vagas são para atuar no programa Territórios Sociais