Na próxima sexta-feira (15/1), a professora dança e coreógrafa Ana Lúcia Silva realizará uma audição para selecionar cinco dançarinos para o espetáculo “Brasileirices”, da Cia Livre de Dança, que será apresentado em março no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro. A seleção, que acontecerá a partir das 18h na sede da Cia., na Rocinha, está aberta para dançarinos maiores de 18 anos que tenham base de jazz, dança afro e teatro musical. A companhia foi contemplada pela Lei Aldir Blanc.

Com coreografia de Ana Lúcia Silva, “Brasileirices” é um espetáculo de dança afro brasileira que reúne canto, dança, interpretação e percussão ao vivo para contar a história de um jovem que descobre de nasceu no dia em que a Lei do Ventre Livre foi promulgada, mas que passou a vida inteira como escravo.

“A audição será uma aula de dança afro brasileira, com percussão ao vivo; portanto descansem na véspera”, recomenda a professora e coreógrafa Ana Lúcia Silva. “É para levantar a poeira do chão!”, adianta. 

Para a audição, os interessados devem comparecer à sede da Cia Livre de Dança (Via Ápia 44, sala 301 – Rocinha) às 18h desta sexta-feira. Devido a medidas de prevenção ao novo corona vírus, não será permitida a entrada com calçados da rua e todos bailarinos devem levar sua própria garrafa de água, além de máscara e de álcool gel.

Ana Lúcia e a Cia Livre de Dança

Nascida e criada na Rocinha, Ana Lúcia Silva está à frente da Cia Livre de Dança, escola e Ponto de Cultura que criou na comunidade em 1999. Ela desenvolve uma série de produtos sociais com o objetivo de lecionar danças para crianças e jovens da comunidade. Graduada em Licenciatura Plena em Dança pela Universidade Cândido Mendes e pós-graduada em Psicomotricidade Clínica e Relacional, ela acredita na dança como veículo transformador, e por isso a importância de sempre estudar.

Valorizando sempre suas origens, Ana Lúcia Silva tem orgulho de  ter representado a Rocinha em eventos nacionais e internacionais, como também ter sua biografia apresentada em uma exposição para mulheres negras nos Estados Unidos.

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Mestre Manel da Capoeira: 40 anos de Rocinha e muita história pra contar

Migrante aos 19 anos, ele chegou ao Rio sozinho, sem dinheiro, pouco estudo e com muitos sonhos

Disputa entre TV Globo e Bibi Perigosa pode impedir que ‘A Força do Querer’ seja reprisada

A moradora da Rocinha e atriz Fabiana Escobar, cuja biografia inspirou a…

Acadêmicos da Rocinha é rebaixada para 3° divisão do carnaval carioca

A GRES Acadêmicos da Rocinha foi rebaixada para a série B, conhecida…

‘Via Sacra da Rocinha: arte e resistência na favela’, o espetáculo virou filme

O documentário nesta quinta-feira (18/07), às 19h, na Biblioteca Parque da Rocinha