O Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (FECAM) aprovou a liberação de R$ 2,8 milhões para a construção de um polo de reciclagem no acesso à Rocinha, em São Conrado.

De acordo com o projeto da Secretaria Estadual do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS), a construção vai permitir estabelecer um ponto de encontro e de trabalho para os catadores locais, além de ser um ponto de recepção de resíduos recicláveis de outras fontes, com capacidade de triagem, prensagem e estocagem. O projeto também abrigará a cooperativa Rocinha Recicla.

“Um dos maiores problemas são as valas de drenagem onde são jogados resíduos variados e que na época de chuvas, sejam intensas ou não, descem em direção ao valão principal até chegar ao destino final de drenagem junto ao Complexo Esportivo da Rocinha. Como a drenagem corre parte do esgoto das áreas sem saneamento é um transtorno não só para a área baixa da Rocinha, Bairro Barcelos, como para a região de São Conrado do outro lado da Estrada Lagoa – Barra.”, explicam os técnicos do projeto.

A iniciativa também visa ampliar os pontos de coleta de resíduos, criar práticas de reaproveitamento e reciclagem, além de gerar renda através da coleta seletiva.

Segundo o projeto, a estratégia consiste em aproveitar ao máximo o terreno utilizando o pavimento térreo apenas para o ato de separar e estocar os resíduos recicláveis. 

Os resíduos chegarão através dos catadores ou Veículos Urbanos de Carga (VUC) de resíduos recicláveis, são depositados nos Silos de estocagem, sofrem triagem e são alocados em baias para depois serem prensados , pesados e estocados para retirada pelo reciclador contatado. 

O projeto possui três saídas de emergência, sendo duas com rampa e uma com degrau, assim como banheiros e mini copa localizados no pavimento térreo com o intuito de atender pessoas com necessidades especiais. O último andar vai abrigar a área administrativa, dois banheiros/ vestiários (masculino e feminino), área técnica para medidores e inversores interativos para o sistema fotovoltaico e área de copa e refeitório. 

De acordo com a Comlurb, a Rocinha produz 230 toneladas de resíduos sólidos por dia, conforme o Fala Roça mostrou em uma matéria publicada em 2021.

Terreno em São Conrado

Devido a indisponibilidade de prédios ou terrenos públicos na Rocinha, a Secretaria Estadual de Obras (SEOBRAS) identificou um terreno particular na Avenida Niemeyer, em São Conrado, que será desapropriado pelo custo aproximado de R$ 1,5 milhão.

A área possui aproximadamente 433 metros quadrados, sendo os fundos do terreno na encosta do Morro Dois Irmãos, próximo a favela da Matinha. A desapropriação está na fase de análise jurídica na SEAS.

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Tradição há 27 anos, Via Sacra da Rocinha acontece nesta sexta-feira

A sexta-feira santa tem um atrativo especial na Rocinha: a encenação da…

5 promessas do governo Eduardo Paes para a Rocinha

Camelódromo, clínicas da família, encostas, reformas de quadras e reparo emergencial na canaleta da Rocinha são destaques