O Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (FECAM) aprovou a liberação de R$ 2,8 milhões para a construção de um polo de reciclagem no acesso à Rocinha, em São Conrado.

De acordo com o projeto da Secretaria Estadual do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS), a construção vai permitir estabelecer um ponto de encontro e de trabalho para os catadores locais, além de ser um ponto de recepção de resíduos recicláveis de outras fontes, com capacidade de triagem, prensagem e estocagem. O projeto também abrigará a cooperativa Rocinha Recicla.

“Um dos maiores problemas são as valas de drenagem onde são jogados resíduos variados e que na época de chuvas, sejam intensas ou não, descem em direção ao valão principal até chegar ao destino final de drenagem junto ao Complexo Esportivo da Rocinha. Como a drenagem corre parte do esgoto das áreas sem saneamento é um transtorno não só para a área baixa da Rocinha, Bairro Barcelos, como para a região de São Conrado do outro lado da Estrada Lagoa – Barra.”, explicam os técnicos do projeto.

A iniciativa também visa ampliar os pontos de coleta de resíduos, criar práticas de reaproveitamento e reciclagem, além de gerar renda através da coleta seletiva.

Segundo o projeto, a estratégia consiste em aproveitar ao máximo o terreno utilizando o pavimento térreo apenas para o ato de separar e estocar os resíduos recicláveis. 

Os resíduos chegarão através dos catadores ou Veículos Urbanos de Carga (VUC) de resíduos recicláveis, são depositados nos Silos de estocagem, sofrem triagem e são alocados em baias para depois serem prensados , pesados e estocados para retirada pelo reciclador contatado. 

O projeto possui três saídas de emergência, sendo duas com rampa e uma com degrau, assim como banheiros e mini copa localizados no pavimento térreo com o intuito de atender pessoas com necessidades especiais. O último andar vai abrigar a área administrativa, dois banheiros/ vestiários (masculino e feminino), área técnica para medidores e inversores interativos para o sistema fotovoltaico e área de copa e refeitório. 

De acordo com a Comlurb, a Rocinha produz 230 toneladas de resíduos sólidos por dia, conforme o Fala Roça mostrou em uma matéria publicada em 2021.

Terreno em São Conrado

Devido a indisponibilidade de prédios ou terrenos públicos na Rocinha, a Secretaria Estadual de Obras (SEOBRAS) identificou um terreno particular na Avenida Niemeyer, em São Conrado, que será desapropriado pelo custo aproximado de R$ 1,5 milhão.

A área possui aproximadamente 433 metros quadrados, sendo os fundos do terreno na encosta do Morro Dois Irmãos, próximo a favela da Matinha. A desapropriação está na fase de análise jurídica na SEAS.

Assine nossa newsletter

Receba uma curadoria das nossas reportagens.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Construção de garagem pública aliviaria engarrafamento na Estrada da Gávea

O estacionamento irregular na Estrada da Gávea causa congestionamentos, dificultando o deslocamento dos moradores e afetando a prestação de serviços essenciais na Rocinha

Projeto na Alerj pode criar fórum para debater e fomentar comunicação nas favelas do Rio

A deputada estadual Verônica Lima (PT) apresentou o Projeto de Resolução nº…

Emergências climáticas: Rocinha se reúne para debater ações na favela

Pensar sobre as mudanças climáticas é urgente, pelo fato de quem está sofrendo com os impactos são as populações mais pobres

Prefeitura desativa projeto ambiental na Rocinha

Moradores e responsáveis pelo projeto social “De Olho no Lixo” foram surpreendidos…