A sexta-feira santa tem um atrativo especial na Rocinha: a encenação da Via Sacra. O espetáculo ao ar livre já acontece há 27 anos e é uma grande tradição local produzida pelo grupo Roça Caça Cultura, sempre trazendo um novo ponto de reflexão para o público.”Já acompanhei várias vezes e é muito emocionante”, lembra Josita Silva, moradora da Rocinha há quase 30 anos.

A equipe da Via Sacra é integralmente formada por moradores da Rocinha, o que reflete na escolha dos temas abordados. No início de 2018, os confrontos na favela, a morte de muitos moradores e o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, por exemplo, levaram o grupo a falar mais uma vez sobre a violência.

Em 2019, a equipe escolheu exaltar a força do povo: “Vamos falar de como podemos nos unir, reivindicar e cobrar nossos direitos. A luta de um pode se tornar a luta de todos. Esse será o nosso recado este ano”, explica Robson Melo, diretor geral do espetáculo.

Faltando apenas dois dias para a apresentação, o grupo segue sem nenhum apoio do poder público. E, embora a Via Sacra da Rocinha seja um Patrimônio Cultural e Imaterial do Rio de Janeiro, nem esse título nem a sua trajetória de sucesso tem sido o bastante para dar ao espetáculo seu verdadeiro reconhecimento e proporcionar a estrutura ideal para que ele aconteça. “Nossa luta pelo reconhecimento é, na verdade, a luta pelo respeito. São quase 3 décadas de história. A Via Sacra da Rocinha é, sem dúvidas, uma voz de resistência”, conta Robson.

Serviço:
Via Sacra da Rocinha
19 de Abril, 20h
Largo do Boiadeiro
Direção geral: Robson Melo
Direção artística: André Martins

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Projeto da ONU procura moradores para trabalhar dentro da Rocinha

Vagas são para atuar no programa Territórios Sociais

Prefeitura desativa projeto ambiental na Rocinha

Moradores e responsáveis pelo projeto social “De Olho no Lixo” foram surpreendidos…

Novos deslizamentos podem acontecer em 2020 se não houver obras na Rocinha, afirma defensora pública

Declaração foi dada durante audiência pública da CPI das Enchentes