Nos dias 6 e 7 de julho, vem aí o Viradão Cultural da Rocinha! O evento multicultural é realizado pelo Fala Roça, uma organização de comunicação sem fins lucrativos sediada na Rocinha, que atua no desenvolvimento social através do fomento à comunicação e cultura há 11 anos. O evento cultural será realizado na Biblioteca Parque da Rocinha C4, localizado na estrada da Gávea, nº 454. A entrada é gratuita e qualquer pessoa pode participar. 

O Viradão Cultural visa promover a visibilidade dos pontos culturais identificados no Mapa cultural da Rocinha, plataforma colaborativa criada pelo Fala Roça. “Vamos reunir mais de 50 iniciativas locais identificadas para fortalecer a raiz cultural da Rocinha, mas também para conectar os projetos culturais aos moradores das favelas do Rio de Janeiro”, afirma Monique Silva, diretora de gestão de projetos. 

Das 10h às 21h, da manhã de sábado (6/7) até a noite de domingo (7/7), o evento ocupará os quatro andares da Biblioteca Parque Rocinha – conhecida também pelos moradores como C4, que significa Centro de Convivência, Comunicação e Cultura. A programação será diversificada, incluindo debates, apresentações de teatro, música, dança, exposições de artes, grafites, fotografias, artesanatos, exibição de curtas e documentários, como a Via Sacra da Rocinha. 

A programação do Viradão Cultural da Rocinha também terá palestras sobre o apoio do comércio e turismo para a cultura local, acessibilidade e inclusão cultural nas favelas, captação de recursos, entre outros assuntos. Inclusive, o evento contará com ações de acessibilidade, que incluem interpretação em LIBRAS nos debates, para garantir a inclusão de pessoas com deficiência (PCD). Ainda, terá pontos de hidratação, com apoio da concessionária Águas do Rio.

Para além da importância cultural e do entretenimento oferecido, o Viradão Cultural da Rocinha visa proporcionar um impacto socioeconômico no território, fomentando a economia criativa local. Para isso, contará com 30 barracas com comidas de empreendedores dos projetos culturais do Mapa Cultural da Rocinha, que hoje tem 124 iniciativas cadastradas.

Por isso, oferecerá remuneração para as 50 iniciativas do Mapa Cultural da Rocinha cadastradas e foram selecionadas para participar do evento. “Nosso objetivo é incentivar a formação de redes de conhecimento e parcerias entre grupos culturais e conectar os moradores com essas iniciativas”, explica Michel Silva, diretor institucional do Fala Roça. 

O evento tem apoio do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, que administra a Biblioteca Parque Rocinha C4. Também conta com apoio do Governo Federal a partir da Lei Paulo Gustavo (Lei Complementar 195, de 2022), via Ministério da Cultura. A lei foi elaborada para garantir a distribuição eficiente dos recursos e a execução de projetos em todo o território nacional. 

O metrô é a melhor opção de transporte para chegar ao Viradão Cultural da Rocinha. Os clientes devem desembarcar na estação São Conrado. Neste sábado e no domingo (6 e 7/07), a operação do MetrôRio acontece nos horários regulares de fim de semana. A linha 2 vai operar entre Pavuna e Botafogo, e as linhas 1 e 4 seguirão o trajeto Uruguai-Jardim Oceânico/Barra da Tijuca. A transferência entre as linhas 1 e 2 poderá ser feita no trecho compartilhado entre as estações Central do Brasil/Centro e Botafogo.

O Viradão Cultural da Rocinha busca evidenciar a rica produção cultural da favela, fortalecendo a raiz cultural do território. Além disso, o evento anseia contribuir para a retomada da cultura no território periférico, incentivando à participação, integração e, até colocar a Rocinha no calendário de eventos culturais do Estado do Rio de Janeiro. 

O evento tem apoio institucional da Secretaria Nacional de Periferias, via Ministério das Cidades e da plataforma Mapa das Periferias, e da União Pró-Melhoramento dos Moradores da Rocinha (UPMMR).

Apoiam ainda o Viradão Cultural da Rocinha, os comércios locais: Via Trattoria, Mirante da Rocinha, Firma Telecom e Gráfica NG

Informações:
Dia: 6 e 7 de julho | Sábado e Domingo
Local: Biblioteca Parque Rocinha C4 | Estr. da Gávea, 454, Rocinha | Rio de Janeiro
Horário: 10h às 21h
Entrada: Gratuita

Sobre o Fala Roça

O jornal nasceu através de um grupo de jovens da Rocinha que participaram de atividades criativas da Agência Rede Para Juventude, cujo objetivo era pensar o jovem enquanto protagonista de seus desejos e ações. A primeira versão impressa foi lançada em maio de 2013. Com o avanço da tecnologia, o Fala Roça se remodelou e passou a produzir reportagens para o portal de notícias

Com a missão de alterar a narrativa estereotipada da maior favela do Rio de Janeiro, a Rocinha, a organização de comunicação produz uma comunicação da favela para todos. O “Fala” representa uma forma de ampliar vozes. O “Roça” remete à memória local quando a Rocinha era uma grande fazenda. 

Com 11 anos de atuação, atualmente, o Fala Roça se tornou uma associação de comunicação com ações no território em prol de novas narrativas de comunicação na favela.

Informações de contatoAssessoria de Comunicação
Nome: Tatiana Lima
E-mail: tatiana.lima@falaroca.com
Tel | Whatsapp: (21) 99665-7892

Assine nossa newsletter

Receba uma curadoria das nossas reportagens.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Sucesso na web, grupo ‘Oz Crias’ bomba com vídeos feitos na Rocinha

É comum ver crianças e jovens dançando o passinho de funk nas…

Clipe de MC Jean, cria da Rocinha, atinge 1,5 milhão de views no Youtube

Foi rápido! A canção “Logo Logo Vai Chegar o Dia” de MC…