A Acadêmicos da Rocinha já tem enredo para o carnaval de 2023. Almejando seu retorno à Marquês de Sapucaí, a escola iniciou seus trabalhos com o enredo ‘As borboletas encantadas da bela Oyá’, elaborado pelo carnavalesco Marcos Paulo.

A Princesinha da Zona Sul fará uma referência a seu símbolo maior, gerando um entrosamento entre a representatividade da borboleta dentro do contexto histórico da escola e a representatividade do mesmo animal na história da orixá Oyá (Iansã).

Na simbologia de Oyá/Iansã, as várias faces da orixá: a transformação, o renascimento, o símbolo da mulher, da graça, ligeireza, pureza da alma e seres mágicos. Oyá teve algumas paixões, mas, seu maior amor foi Xangó, ainda assim, cometeu astúcias junto ao seu amado. 

Partindo dessa história, a proposta da Acadêmicos da Rocinha é saudar a bela Oyá ao trazer suas lendas, personalidade aguerrida, suas relações com fenômenos da natureza, fauna, flora, alimentos, artefatos e com o continente africano. 

“Ao elencar tais características que marcam a identidade da Orixá esse enredo se desenvolve citando algumas qualidades de Oyás (Iansãs) cultuadas nos terreiros de Candomblé e Umbanda em solo brasileiro, bem como as cores que concebem seus trajes e mistérios relacionados a ela.”, destacou a escola nas redes sociais.

Este ano, a Acadêmicos da Rocinha ficou em segundo lugar na Série Prata.

Histórico africano

Não é de hoje que a agremiação aborda os enredos com origens africanas. Em 1989, a Acadêmicos da Rocinha chegou a ser campeã com o enredo “O esplendor dos divinos orixás”, de Joãosinho Trinta, que traria um tricampeonato para a escola anos depois. 

Já o atual carnavalesco, Marcos Paulo, trabalha este tema pela segunda vez na agremiação. o primeiro enredo afro desenvolvido foi “A guerreira negra que dominou dois mundos” em 2020. 

Assine nossa newsletter

Receba uma curadoria das nossas reportagens.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Mestre Manel da Capoeira: 40 anos de Rocinha e muita história pra contar

Migrante aos 19 anos, ele chegou ao Rio sozinho, sem dinheiro, pouco estudo e com muitos sonhos

Sem poder ir às ruas, organizadores da Via Sacra da Rocinha vão transmitir documentário na web

No próximo final de semana – dias 2,3 e 4 de abril…

Leo Godoi: o goiano que criou o Rocinha em Cena

O teatro costuma abrir portas para outros mundos. Foi com esse pensamento…