Cem alunos da Rocinha receberam, nesta sexta-feira (02/11) os certificados das oficinas oferecidas pelo Festival Quitutes e Batuques, que realizou a quinta edição do evento, desta vez, tendo a Rocinha como sede. A quinta edição contou com o ex-produtor norte-americano da Marvel, Cort Lane.

O artista, que atualmente assina o a animação “Meu Querido Pônei”, é ex-produtor da gigante Marvel e por lá assinou obras como a série ‘Lego Super Heróis da Marvel’.

Lane aplicou uma oficina de animação para cinema, que aconteceu ao longo da semana, na Biblioteca Parque da Rocinha. Os participantes poderão ter seus projetos exibidos no Festival de Animação de Lisboa. Cada participante apresentou uma proposta de projeto e as três melhores serão escolhidas para serem desenvolvidas em projetos de animação, com consultoria de Lane, e serão produzidas com apoio da organização Nix Diversidade em parceria com o Festival de Animação de Lisboa, no qual as animações serão exibidas.

Sobre a experiência de integração com a favela, Lane revelou o sentimento de troca com os moradores da Rocinha:

“Estou muito grato. Cada dia é diferente, pois os participantes são tão diversos em idades e raças, além do público  LGBTQIA+. Ajustamos o workshop para passar as aulas dedicando mais tempo para que eu fale com eles sobre as ideias criativas e aprenda como apresentar suas ideias ou desenvolver roteiros em torno de seus conceitos. Tem sido realmente emocionante e maravilhoso. Tenho aprendido mais com eles do que eles comigo”, revelou.

Fabrício do Ramos, diretor da Nix Diversidades, uma organização sem fins lucrativos, assumiu a direção artística do Quitutes e Batuques este ano. A organização tem como compromisso a diversidade e a inclusão, apoiando e criando projetos com este escopo e comentou a parceria:

“O Coletivo Quitutes e Batuques é um projeto de intercâmbio criativo e cultura. O tema deste ano é a Diversidade com três pilares: empoderamento feminino, equidade racial e cultura LGBTQIA +. Essas oficinas na Rocinha com o Cort Lane é um grande feito para nós”, afirmou.

Tiago Alves Wiltmann, de 36 anos, é aluno da oficina de Animação e comentou sobre o aprendizado:

“A experiência que estou tendo é extraordinária. Ele (Lane) é uma pessoa muito experiente e até tem se esforçado a aprender o português pra se aproximar mais da gente. Uma experiência que nunca vou esquecer e estou aproveitando o máximo”, comemorou.

Assine nossa newsletter

Receba uma curadoria das nossas reportagens.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Moradores oferecem futebol como ferramenta de inclusão social

A paixão nacional usada como instrumento de inclusão de crianças e adolescentes…

Moradora da Rocinha ensina como fazer um Arroz de Camarão

Não é preciso circular muito pela Rocinha para perceber a variedade de…

Projeto social oferece aulas de escalada para jovens na Rocinha

Nas favelas é comum as crianças e adolescentes jogarem futebol, praticarem uma…

Por que o Fala Roça não falou nada sobre o racismo sofrido por moradores da Rocinha

O ponto alto de um jornal é dar um furo. O furo…