Sorridente, brincalhão e com uma legião de amigos. Essa é a forma como os amigos do mototaxista Erick Vital Araujo vão se lembrar dele. Em solidariedade, futebolistas da Rocinha se reuniram no campo sintético da Vila Verde, no alto da Rocinha, no último domingo, 17/11, e planejaram um torneio de futebol em homenagem a Erick. Ele era treinador do time da igreja que frequentava, o “Nada a Perder”.

Erick Vital faleceu no início de novembro, em um acidente de motocicleta na Estrada da Gávea, na Rocinha. Uma passageira também se feriu, mas não corre risco de vida. Batizada de ‘Copa Erick 22’ – em alusão ao apelido do mototaxista – 14 times se inscreveram para participar da homenagem.

Erick Vital era mototaxista e treinador do time “Nada a Perder”, da Igreja Universal. (Foto: Reprodução/Redes sociais)

A primeira partida da competição aconteceu neste domingo, 17/11, às 11h, no campo sintético da Vila Verde. Os Amigos do 22, equipe formada exclusivamente para essa competição, enfrentou o Raia City. O time foi formado por um dos amigos de infância de Erick, Bruno Brito.

“Somos amigos dele desde a infância aqui na Rua 1 e resolvemos criar um time com o apelido dele junto com a galera da igreja que jogou o último campeonato com ele. Isso era o mínimo que poderíamos fazer porque ele era um moleque sem palavras. Sempre alegre com suas ideias loucas e nos deixou de uma forma tão precoce”, lembra Bruno.

Na primeira fase da competição, as equipes serão divididas em dois grupos e vão jogar entre si. Os quatro times mais bem pontuados de cada grupo se classificam para os confrontos diretos (mata-mata). Em seguida, ocorrem as quartas de final, a semi-final e a final. O torneio tem previsão de término em janeiro de 2020.

“O Erick era um apaixonado por futebol. Gostava da resenha, de zoar os adversários, mas sempre de uma maneira alegre e extrovertida”, lembra Condy Ximenes, um dos responsáveis pela competição.

Os resultados dos confrontos poderão ser acompanhados pela página da Liga Fut7 Rocinha no facebook.


Apoie o jornalismo de favelas. Apoie o Fala Roça.

Fazer jornalismo na favela é um imenso desafio. Nós sempre fizemos nossas matérias falando das coisas boas da Rocinha. Seja no jornal impresso ou no site. Contribuindo com o Fala Roça, você estará fortalecendo o jornalismo feito na favela, independente, e com um olhar de quem nasceu e mora até hoje no morro. Pode dar essa moral? 👇

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.