O atleta João Gabriel Candido Rocha, conhecido como “Monkey”, de 24 anos, venceu a 5ª edição do Circuito Estadual de Boxe e levou para casa mais um título de Campeão Estadual Profissional de Boxe na categoria leve. Em comemoração a vitória, o jovem ganhou uma calorosa carreata na Rocinha, que partiu da localidade Largo das Flores até o Portão Vermelho, no alto do morro. 

Monkey segue invicto nas lutas que disputa, com três vitórias consecutivas e zero derrotas até o momento, permanecendo com o cinturão de campeão. O duelo contra o boxeador Gabriel Soares, o “Pretão”, foi intitulado como um “show de boxe” e marcado pelas técnicas que fizeram Monkey vencer. 

“Foi uma luta árdua para os dois atletas. 10 rounds intensos e ele (Monkey) foi testado ao máximo durante toda luta. O João Gabriel teve um bom preparo e soube colocar em prática tudo que foi treinado. Se continuar nesse ritmo, vai ser difícil alguém tirar o título dele!” disse o espectador Robson Matias. 

A luta, realizada em 20 de agosto, no Grajaú Country Club, zona norte do Rio, teve 10 rounds e entrou para a história da 5ª edição do evento, promovido pelo Conselho Nacional de Boxe (CNB) e Federação Estadual de Esporte Socioeducativo e Pugilismo do Rio de Janeiro (FPERJ). 

“Essa foi uma das lutas mais difíceis. O adversário me testou de várias maneiras nos 10 rounds. Até eu revi na internet! E, para quem viu pessoalmente foi impressionante. Estou com a sensação de dever cumprido e que fiz o que meus técnicos me orientaram a fazer”, afirmou o campeão. 

Cinco dias após a luta, no dia 25 de agosto, o projeto social esportivo UPP Fight, criado pela Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, realizou uma carreata para comemorar a vitória do boxeador. Para Monkey, a recepção da vitória é um reconhecimento resultado de muita dedicação individual e coletiva, orientado pelo professor e servidor público Walmor Silva.

Monkey posa com cinturões que ganhou em eventos. Fotos: Rodrigo Silva/Fala Roça

“Subimos a carreata fazendo muito barulho! Teve interação dos moradores, todos que viram a luta, que estavam apoiando, foi bem divertido. A semana toda foi festa para comemorar essa vitória”, conta o lutador.

A trajetória de Monkey inspira muitas pessoas na favela da Rocinha. Com 18 anos, João Gabriel começou a praticar boxe e se destacou no esporte, tendo a oportunidade de ir para a Bahia competir no Campeonato Brasileiro Amador de Boxe. Em seguida, ele foi convidado para conhecer e treinar no projeto UPP Fight, desenvolvido na Rocinha, na Quadra da Cachopa. Não demorou muito para que Monkey fosse convocado a subir de nível e ir disputar duelos no boxe profissional. 

“Sempre fui muito ligado ao esporte. Já fiz futebol também, mas quando iniciei no boxe, me identifiquei e estou até hoje. Comecei no amador, fiz algumas lutas e depois pulei para o profissional. Penso em disputar o título mundial dentro da categoria junior e o Sulamericano. Esse é o meu sonho e quero viver disso!”, confessa o boxeador.

Quem é o campeão?

O campeão João Gabriel Monkey é o terceiro filho da Dona Angélica Rocha e irmão de duas gêmeas. Cria da Rocinha, ele é o recordista da academia UPP Fight. Dentro das oito lutas que realizou, efetuou três nocautes e nunca perdeu uma luta, realizando um feito inédito no projeto em que participa.

Além de nocautear no ringue, o atleta enfrenta os desafios da vida aplicando o conhecimento do boxe em seu cotidiano, nocauteando também as barreiras financeiras e aumentando o acervo de potências da Rocinha. Essas barreiras muitas vezes estão ligadas à falta de captação de dinheiro para disputar outros campeonatos fora do estado e do país, que o atleta tanto deseja, restringindo suas oportunidades de crescimento e projeção no cenário esportivo internacional.

Para conferir a luta completa de João Gabriel Monkey e dos outros atletas, clique aqui e assista através da plataforma YouTube.

Assine nossa newsletter

Receba uma curadoria das nossas reportagens.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Reforma do campo da Vila Verde custará R$ 1 milhão, segundo prefeitura

Com investimento de quase R$ 1 milhão, a Prefeitura do Rio, por…

Surfista cria projeto social para mudar vida de jovens na Rocinha: ‘Retribuir o que fizeram pra mim’

Em 2018, o surfista sentiu que a essência do esporte estava desaparecendo na Rocinha e não via mais a participação de favelados no esporte

Governo suspende despejo de escola de surfe do Complexo Esportivo da Rocinha

A Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (SUDERJ) suspendeu…