Morreu neste domingo (25), aos 42 anos, o jornalista e educador comunitário, Marcos Cavalcante Barros. Ele foi vítima de um acidente de moto ocorrido no sábado (24), em Botafogo, na zona sul do Rio. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Municipal Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos.

Marcos Barros é considerado uma das referências na formação educacional de jovens, adultos e idosos da Rocinha, principalmente no acesso ao ensino superior. Nascido e criado na Rocinha, Barros formou-se em Comunicação Social, com bacharelado em Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) em 2011. 

Um ano antes, assumiu – voluntariamente – a coordenação de comunicação do Pré-Vestibular Comunitário da Rocinha (PVCR) onde também dava aulas de redação para favelados que sonhavam em ingressar nas universidades.

Vascaíno e forrozeiro, ele também era apaixonado por viagens em motocicletas. Nos tempos livres, sentava em sua motocicleta e os destinos eram publicados nas redes sociais.

Em nota, o PVCR destacou a continuidade do legado de Marcos Barros na instituição. “O que fica, para nós, são os momentos felizes e os aprendizados que tivemos com ele, assim como seu legado. Juntos, nos comprometemos a dar continuidade à essa obra de construção do ensino público de qualidade.”.

Barros acreditava que incentivar a educação e acreditar nos sonhos de outras pessoas é uma forma de amor. Em uma de suas últimas postagens no Instagram, o jornalista destacou o crescimento pessoal nos últimos 10 anos.

educação-marcos-barros-rocinha
Marcos Barros , 42 anos, referência como jornalista e educador na Rocinha. Foto: Reprodução / Redes Sociais

Em 2016, participou de um projeto escolar com crianças menores de 6 anos de idade no Adolescentro Paulo Freire, no Centro de Cidadania Rinaldo de Lamare. Atento às dificuldades no acesso à educação básica, participou da busca ativa de famílias que não tinham condições tecnológicas para efetuar as matrículas escolares, além de conferir a caderneta de vacinação com apoio de agentes comunitários de saúde.

Além da educação popular, o jornalista colaborou com o portal FavelaDaRocinha.com. Sempre sugerindo histórias para possíveis matérias, foi assim que o Fala Roça contou a história da Dona Rizonete, de 55 anos, que estudou no PVCR e virou estudante de Pedagogia, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

O velório está marcado para esta terça-feira (26), às 9h, no Cemitério São João Batista, em Botafogo. O sepultamento está previsto para às 13h no mesmo local. Ele deixa a companheira grávida de cinco meses.

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Carlos Costa, jornalista e ex-líder comunitário, morre aos 59 anos

Carlos Costa viveu na Rocinha por 45 anos. Dedicou 30 anos às…