O Fala Roça, única organização de comunicação sem fins lucrativos da Rocinha, nascido da insatisfação dos jovens moradores com a representação da favela nos meios de comunicação hegemônicos do Rio de Janeiro, lançou uma campanha de financiamento recorrente no Catarse.

Formalizada em 2018, o Fala Roça como missão produzir informação e conhecimento por meio de um jornal impresso, um portal e redes sociais com conteúdos produzidos por moradores da Rocinha, onde moram mais de 120 mil pessoas.

“Ao lançar esta campanha, nosso objetivo é arrecadar R$ 8.000 por mês para cobrir os custos fixos, como aluguel da sede, água, luz, limpeza e ampliação da equipe”, conta Michel Silva, diretor institucional e de jornalismo. “Com o apoio financeiro dos nossos apoiadores, seremos capazes de continuar produzindo reportagens relevantes e inspiradoras que não serão encontradas nos jornais hegemônicos.”

A campanha de financiamento recorrente do Fala Roça está aberta a doações de todos os interessados em apoiar o jornalismo de favela e desafiar estigmas. Para contribuir, visite catarse.me/falaroca e faça sua doação hoje.

Assista o vídeo da campanha

A metodologia da campanha de financiamento recorrente do Fala Roça foi desenvolvida a partir da participação no Techcamp, um programa de diplomacia pública hospedado no Bureau of Educational & Cultural Affairs (ECA) do Departamento de Estado dos EUA com o apoio da Embaixada e Consulados dos EUA no Brasil e Énois. Os aprendizados serão compartilhados em breve com outras organizações interessadas.

Sobre o Fala Roça

Desde 2015, o Fala Roça é reconhecido como um patrimônio cultural imaterial da cidade do Rio de Janeiro. Ao longo dos anos, a organização recebeu apoio da Agência de Redes para a Juventude, Brazil Foundation, Consulado Geral dos Estados Unidos da América, Fiocruz, Repórteres Sem Fronteiras, Google, Instituto Unibanco, entre outros.

Além disso, o Fala Roça tem representado a Rocinha em eventos importantes tanto no Brasil quanto no exterior, incluindo sua participação destacada no Fórum de Jornalismo Internacional, realizado em Atenas, na Grécia. Essa presença global é resultado de um trabalho jornalístico consistente e relevante, que solidificou o Fala Roça como uma das principais referências em jornalismo favelado.

“A Rocinha é uma favela que pauta muitos debates na sociedade, e nosso objetivo é continuar produzindo reportagens que gerem políticas públicas para melhorar nossas vidas aqui e inspirar outros veículos das favelas brasileiras”, finaliza Michel Silva.

Assine nossa newsletter

Receba uma curadoria das nossas reportagens.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

No Dia da Árvore, Rocinha recebe plantio de muda de ipê amarelo

A muda de ipê amarelo plantada no pátio da escola deve demorar pelo menos dez anos para florescer e podem ter até 7 metros de altura

Com restos de tecidos e plásticos, moradores fazem desfile de moda na Rocinha

O Ecomoda, projeto da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas),…