A idosa Maria Luiza Santana do Nascimento, de 70 anos, morreu com suspeita de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, na UPA da Rocinha, nesta segunda-feira (30/03), segundo familiares da vítima. Até o momento, nenhum caso do Covid-19 foi confirmado na Rocinha pela Secretaria Municipal de saúde.

De acordo com familiares da vítima, a aposentada foi levada para a UPA na quarta-feira (25/03), com sintomas de gripe e tosse, além de uma leve falta de ar. A idosa foi medicada e a unidade hospitalar recomendou voltar para casa. 

Maria Luiza tinha 70 anos e não tinha histórico de doenças, segundo família. (Foto: Acervo/Família Santana do Nascimento)

No sábado (28/03), os sintomas iniciais de Maria Luiza pioraram, como falta de ar, tosse e diarreia. A idosa foi levada novamente para a UPA e, imediatamente, recebeu nebulização com aplicação de medicamentos que não surtiram efeitos. Com o agravamento do quadro de saúde, ela foi encaminhada para a sala vermelha da unidade hospitalar onde foi entubada e sedada. 

Às 23h30 de ontem, a idosa morreu e o material biológico foi coletado horas antes do óbito para exames do novo coronavírus. 

Um dos filhos de Maria Luiza acompanhou o atendimento da mãe através de uma sala com porta de vidro. Ele notou que os batimentos cardíacos foram aumentando ao longo do dia enviou mensagens para órgãos do Estado e Prefeitura pedindo uma transferência para outro hospital porque, segundo ele, a UPA da Rocinha não tinha os recursos adequados para ela se recuperar.

“Meu irmão mora a 300 metros da UPA e ficou acompanhando a cada momento a evolução do quadro. Ele viu a correria em direção a sala da minha mãe e os aparelhos estavam apitando, alarmando alguma situação perigosa e, posteriormente, ficamos sabendo que os rins dela estavam sem funcionar e isso ocasionou um aumento na pressão sanguínea. Os batimentos cardíacos aumentaram demais. A médica que avisou para meu irmão foi realista. Disse que o quadro era crítico e dificilmente ela ia superar aquilo ali. Quando eu soube que os rins dela pararam, joguei a toalha e aceitei a possibilidade da morte dela de maneira imediata”, contou o filho.

Maria Luiza não tinha histórico de doenças. Ela morava com uma filha e uma neta em uma casa na Rua 2, localizada na parte alta da Rocinha. As duas já estão em quarentena. A idosa caminhava regularmente na praia de São Conrado. O corpo permanece na UPA e não há detalhes sobre o enterro.

Novos casos na cidade

O Fala Roça apurou que dois idosos estavam internados na UPA da Rocinha, sendo um deles, a aposentada Maria Luiza. Uma terceira pessoa foi identificada como uma mulher de 45 anos que apresentou sintomas leves de covid-19. A morte da idosa consta como suspeita no banco de dados da Superintendência de Vigilância em Saúde, um dos órgãos responsáveis por alimentar o Painel Rio COVID-19, que divulga os casos confirmados e casos prováveis no município do Rio de Janeiro.

Segundo o painel, há 553 casos confirmados de Covid-19 e 4.471 casos prováveis na cidade. Nos bairros vizinhos à Rocinha, São Conrado tem 16 casos confirmados e Gávea e Leblon contabilizaram juntos 66 casos confirmados até o momento.


Apoie o jornalismo de favelas. Apoie o Fala Roça.

Fazer jornalismo na favela é um imenso desafio. Nós sempre fizemos nossas matérias abordando diversos aspectos da Rocinha. Seja no jornal impresso ou no site. Contribuindo com o Fala Roça, você estará fortalecendo o jornalismo feito na favela, independente, e com um olhar de quem nasceu e mora até hoje no morro. Pode dar essa moral? ?

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Rocinha vive pico de casos de Influenza A nos últimos dias

Fotos das unidades de saúde lotadas na Rocinha viralizaram esse fim de…

Infectologista diz que moradores da Rocinha correm risco com coronavírus

Uma das portas de entradas do coronavírus na Rocinha pode ser o turismo

Eraldo Silva: “Crise na saúde pública do Rio atinge patamares alarmantes”

Se a Prefeitura do Rio de Janeiro não recuar na sua decisão…

Menina de 4 anos não morreu por maus-tratos na Rocinha, diz Conselho Tutelar; caso revela extrema pobreza

A menina Larissa Rodrigues da Silva, de 4 anos, não morreu por…