A Rocinha e as chances de cursar o ensino superior podem parecer um objetivo muito distante. Mas, muitos moradores desconhecem a existência do polo CEDERJ em um dos acessos à Rocinha, instalado no subsolo do Complexo Esportivo da Rocinha.

O polo oferece uma série de cursos de graduação em bacharelado, tecnólogo e licenciatura. São 16 cursos disponíveis, incluindo turismo, administração, ciências contábeis, história, pedagogia e sistemas de computação. A unidade visa fortalecer moradores da Rocinha e de favelas do entorno por meio de um formato de ensino semi-presencial.

Inaugurado em janeiro de 2012, há 11 anos, o polo CEDERJ é uma iniciativa da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cecierj), que oferece cursos universitários gratuitos, a distância, em todo o estado do Rio de Janeiro. 

O consórcio é formado por diversas instituições públicas de ensino superior do Estado do Rio de Janeiro, como a UERJ, UFF, UFRJ, UFRRJ, UNIRIO e o Cefet/RJ, que recentemente se juntaram ao grupo. Os alunos do Consórcio têm acesso aos mesmos benefícios e experiências que aqueles que estudam nos campi das universidades, já que recebem educação a distância de qualidade oferecida pelas instituições.

O diretor da unidade, Glauco Carvalho Campos, é apaixonado pela educação e pela relação que vem construindo com a favela desde quando assumiu a direção do polo em 2015. “Não é fácil manter e gerir toda essa estrutura, mas hoje a equipe me dá total apoio e a minha relação com os alunos é de forma horizontal e linear. Quase não fico trancado na minha sala, ando por todos os cantos sempre perto de cada aluno e cada tutor porque a troca tem que ser mútua.”, explica o gestor. 

Na Rocinha, são disponibilizados mais de 170 vagas para seus alunos ingressarem em cursos de graduação, com opções como 40 vagas em Licenciatura em Pedagogia em parceria com a UERJ, 52 vagas em Bacharelado em Administração oferecido pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 40 vagas em Turismo pelo CEFET e 40 vagas para Sistemas de Computação pela Universidade Federal Fluminense. As inscrições para o vestibular estarão abertas até o dia 7 de maio, através do site da instituição, com início das aulas previsto para junho.

Os cursos universitários do Consórcio Cederj contam com material didático próprio para a educação a distância. Os estudantes precisam comparecer ao polo para estudar em grupo, usar a biblioteca, o Laboratório de Informática, fazer provas e esclarecer dúvidas com os tutores. Esses tutores estão disponíveis para orientar os alunos individualmente ou em grupo, em horários previamente agendados, em relação aos conteúdos das disciplinas e incentivam a participação nas atividades e a aquisição de autonomia na aprendizagem.

“Dentro da estrutura montada no subsolo do Complexo Esportivo, o CEDERJ visa oferecer o pré-vestibular social, para quem não pode pagar um curso preparatório, e cursos profissionalizantes para Rocinha, com o CEJA Profissionalizante, e cursos a distância ou semipresencial”, complementa Glauco Campos.

Segundo a 12ª edição do Mapa do Ensino Superior no Brasil, pelo Instituto Semesp, apenas 18% dos jovens de 18 a 24 anos estão matriculados em faculdades no país. O perfil dos universitários da Rocinha ainda é desconhecido. O que demonstra que o ensino superior continua sendo de difícil acesso para a maioria dos brasileiros. Apesar das pesquisas apontarem crescimento no número de ingressantes, ele ainda continua abaixo das metas do Plano Nacional de Educação (PNE).

“Ter esse polo na Rocinha é fundamental para a geração atual e até mesmo a futura, pois isso daqui é deles e deve ser utilizado na sua totalidade para um futuro melhor e tranquilo que muita das vezes só um diploma pode lhe oferecer.”, conclui Glauco Campos.

Assine nossa newsletter

Receba uma curadoria das nossas reportagens.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Jovem arquiteto da Rocinha ganha bolsa de estudo em universidade da Espanha

O estudante carioca Maciel Antonio, 25 anos, tem um motivo a mais…

Jovem da Rocinha chega 2 minutos atrasado e é impedido de participar de seleção na UFRJ

O desabafo feito pela irmã dele, Bruna Dias, viralizou em uma rede social

Ação quer arrecadar 50 tabletes educativos para crianças da Rocinha

O coletivo A Rocinha Resiste (ARR), em parceria com a campanha Por…