Existe um lugar na Rocinha onde muitos moradores nunca foram. Tem aqueles que já ouviram falar, já foram uma ou duas vezes. É considerado por alguns moradores um paraíso, um refúgio, quase um oásis em meio a agitação da favela. Chama-se Laboriaux, a localidade mais alta da Rocinha com cerca de 4 mil habitantes.

A Vila Laboriaux surgiu na década de 80 através da remoção de moradores da parte baixa da Rocinha, antigo Campo Esperança, onde hoje é a região da Raiz e Valão. Foram erguidas aproximadamente 75 casas para realocar os moradores. Nos últimos 30 anos, a localidade foi crescendo de forma orgânica sem acompanhamento dos órgãos públicos. 

Abertura da Rua Maria do Carmo nos anos 80. Foto: Museu da Rocinha/Memória Rocinha

Em 2010, a prefeitura construiu muros de contenção de encostas devido às fortes chuvas que atingiram o morro. Em 2011, a Escola Municipal Abelardo Chacrinha Barbosa foi reaberta após contratação de novos professores. O asfaltamento da Rua Maria do Carmo, principal via do Laboriaux, ocorreu em 2013. 

Depois de 24 anos morando na localidade mais alta da Rocinha, compartilho com vocês minhas impressões positivas e negativas de morar aqui.

Prós

Natureza: É comum a aparição de animais silvestres em pontos do Laboriaux por ser próximo a mata atlântica que compõe o Parque Nacional da Tijuca. As moradias recebem ar fresco o ano inteiro mesmo nos dias mais quentes do Verão. É possível fazer trilhas que se conectam no Parque Nacional da Tijuca. O Sítio do Manélito é a trilha mais conhecida pelos frequentadores que vão até uma represa. Também chamado de Sítio dos Macacos.

Visuais: O Laboriaux tem uma altitude de 474 metros. Os moradores desfrutam de vistas panorâmicas de cartões postais do Rio de Janeiro, como a Lagoa Rodrigo de Freitas; parte das praias de Ipanema e Copacabana; o morro do Corcovado onde fica o Cristo Redentor; a Pedra da Gávea, Pedra Bonita e toda a Rocinha nos fundos com vertente para os bairros da Gávea e São Conrado.

Tranquilidade: Diferente de outros pontos da Rocinha, não é comum grandes barulhos no Laboriaux. O som alto é mais frequente aos fins de semana. No dia a dia, a tranquilidade na localidade lembra cidades pequenas onde a movimentação aumenta nos horários de rush.

Lazer Enquanto as mídias digitais vêm impactando nas atividades lúdicas, lá no Laboriaux o que mais tem são crianças brincando nas ruas. A região desfruta de uma quadra recém reformada pelos próprios moradores. Também tem um parque infantil e uma academia para idosos.

Educação: Estudar próximo de casa é um diferencial para quem mora no Laboriaux. Não há como argumentar que perdeu a aula por causa do trânsito. Existem duas unidades públicas de ensino: a E.M. Abelardo Chacrinha Barbosa e a Creche Municipal Iacyra Frazão. Também tem uma escola particular bastante procurada na região.

Contras

Falta de luz: A população do Laboriaux cresceu nos últimos anos. A ampliação da rede de energia elétrica não acompanhou esse crescimento. Por isso, as quedas de luz se tornaram constantes. O restabelecimento de energia elétrica às vezes demora horas.

Abastecimento de água: Nem todas as moradias possuem água encanada. Na década de 1980, a Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro só canalizou água na Rua Maria do Carmo. Quem precisa de água em casa tem que puxar por conta própria da encanação central. Outros moradores preferem canalizar a água diretamente da mata.

Transporte: Ônibus e vans do sistema público de transporte não sobem o Laboriaux. Somente mototáxi e as kombis operadas pelos próprios moradores. Não é qualquer mototáxi que sobe a rampa. Por isso, os mototaxistas do ponto da rampa são mais acostumados com esse trajeto. A maioria também são moradores do Laboriaux. Carros e motos particulares sobem sem problemas.

Comércio: Pouca variedade de comércios obrigam os moradores a descerem até a Rua 1 para comprar produtos. Atualmente, no Laboriaux, tem um hortifruti, duas padarias e três minimercados. Os preços não são discrepantes, mas são diferentes das demais localidades do morro.

Serviço postal: Comprou algo na internet ou em loja física? Correios, carteiros comunitários e nem as empresas fazem entregas no Laboriaux. Os fretes locais fazem o serviço terceirizado.

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Prefeitura cria novas regras para estacionamento na Estrada da Gávea

Os moradores da Rocinha que possuem carros ou motos devem ficar atentos.…

Morador da Rocinha faz sucesso vendendo ‘batidas’ com 100 sabores

O Verão é a estação do ano no qual ninguém consegue encontrar…