O teatro costuma abrir portas para outros mundos. Foi com esse pensamento que o goiano Leonardo Godoi, 30 anos, migrou para o Rio de Janeiro, em 2015, para estudar teatro. Natural de Mozarlândia, no interior de Goiás, o encanto pela Rocinha aconteceu durante um deslocamento para o primeiro teste de ator, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade. Ao passar em frente a favela, ele sentiu que ali deveria ser o local do seu projeto cultural.

“Passei em frente à Rocinha, vi aquele mar de casinhas e me encantei, Deus falou comigo naquele momento e eu senti que meu projeto tinha que acontecer com as pessoas daqui.” relata Godoi, que realiza trabalhos voluntários desde os 12 anos com seus irmãos Diego e Priscila que são missionários.  

Ao tentar abrir portas para si, o ator conseguiu abrir dezenas de portas para moradores da Rocinha ao fundar o Rocinha em Cena (REC) com aulas gratuitas de teatro, inglês, grafite, reforço escolar e estudo bíblico. 

Leo Godoi, fundador do Rocinha em Cena na sede do projeto. Foto: Osvaldo Lopes

Paralelamente aos estudos, Leo começou a dar aulas gratuitas de teatro para a infância e juventude da Rocinha com apoio de alguns amigos e pessoas que encontrou no início. O primeiro local do projeto foi em um espaço cedido de uma escola de surf em um dos acessos à favela, que logo depois passou por reforma e ele encontrou na praia a maneira de dar continuidade ao sonho. Ficou por meses dando aulas na areia da praia de São Conrado até que encontrasse um local.

“Comecei com apenas quatro alunos, sem nenhuma divulgação, já cheguei a 200 alunos. Esses quatros permanecem comigo até hoje, de forma voluntária, mas ensinando outros adolescentes e jovens. Eu pegava as crianças em casa e dava aula na praia de São Conrado e depois deixava as crianças em casa, isso foi por seis meses, antes da guerra de 2017 na Rocinha eu já estava nessa batalha por espaço,” lembra o idealizador. 

Godoi iniciou a faculdade de publicidade, mas não concluiu porque o teatro sempre foi sua paixão. Chegou a viajar algumas vezes para a África e outros países para levar amor através da arte de atuação para lugares mais remotos e hoje tem a companhia de alguns alunos quando faz missões em quatro estados do Brasil, inclusive nos ribeirinhos da Amazônia. “O teatro é a principal ferramenta que eu tenho, quero transformar vidas”.

Mesmo sendo uma pessoa que pensa sempre na cultura, educação e bem estar do próximo, Leo Godoi diz que deve muito a criação dos pais Dona Lúcia, Sr. Junior e a avó Luzia. Desde a infância, ele aprendeu que “o ser é melhor que o estar e por isso sejamos firmes no amor”, ensinamento que carrega por onde passa. 

O Rocinha em Cena tem uma sede no Trampolim, localidade na parte baixa da Rocinha. No espaço, os moradores recebem aulas de muay thai, jiu jitsu, violão, reforço escolar, crochê, yoga, e claro, teatro. Tudo de forma gratuita e com apoio de doações. O espaço surgiu após Leonardo ajudar a estender roupa na laje da casa da mãe de um aluno. Da laje, ele se deparou com um ótimo espaço e decidiu investir ali para ser a sede do REC que hoje ocupa todo o prédio, não somente a laje.

Os resultados são vistos no cotidiano. Um deles é Ruan Juliet, hoje Tiktoker e influenciador digital. “Tenho muito orgulho do Ruan, chegou aqui criança e hoje com 18 anos e uma mentalidade incrível, sei que ele jamais irá colocar a mão em coisa errada e nem se envolver com nada”, afirma Leo. Traçando planos para o futuro ele ainda deseja conseguir alcançar mais pessoas, estruturar todo o espaço e construir sua família.

Assine nossa newsletter

Receba por e-mail informações sobre a maior favela do Brasil.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR

Disputa entre TV Globo e Bibi Perigosa pode impedir que ‘A Força do Querer’ seja reprisada

A moradora da Rocinha e atriz Fabiana Escobar, cuja biografia inspirou a…

Clipe de MC Jean, cria da Rocinha, atinge 1,5 milhão de views no Youtube

Foi rápido! A canção “Logo Logo Vai Chegar o Dia” de MC…